Provérbios 7:6

Porque da janela da minha casa, por minhas grades olhando eu,

Play Audio:

Uma fotografia vale mais do que milhares de palavras. Lições tendo objetos como ilustração são melhores do que a teoria. Regras com exemplos práticos são melhores do que as regras por si só. Problemas com palavras são melhores do que as abstrações matemáticas.

E a batente de uma janela dá a moldura de um quadro inesquecível de um jovem tolo sendo destruído de dentro para fora por uma mulher estranha. Que quadro!

Se isto é um evento na vida de Salomão ou uma parábola ilustrando um evento comum da vida em geral, isto não altera a lição. Mas levando-se em consideração que o livro é de provérbios e parábolas, não a história de uma vida, presumiremos que seja um evento comum da vida. E ela nos dá instrução adicional.

A batente é a armação ou o caixilho de uma janela que se abre da parte interna.

Salomão não somente observava as pessoas que passavam. Ele observava, analisava, considerava e tirava conclusões sábias. Ele fez o mesmo com o campo do preguiçoso (Pv 24:30-34). Leitor, o seu dever é observar e considerar os caminhos do mundo, pois você pode fazer isto com segurança pela sabedoria dada pelo nosso Pregador e este inspirado livro de instrução.

A lição do nosso versículo de hoje, novamente é a respeito da mulher estranha (Pv 7:5-8,10). O capítulo todo adverte a respeito dela. A parábola ensina como a tentação devastadora e as astúcias de uma mulher estranha podem facilmente destruir um jovem tolo e ingênuo (Pv 7:6-23). A única esperança de livramento e segurança seria dele ficar bem longe dela (Pv 7:8,24-27). Veja os comentários de Provérbios 5:8.

Salomão começa por um apelo ao seu filho para reter sua sabedoria e instrução a respeito da mulher estranha (Pv 7:1-5). E ele conclui falando a respeito do grave perigo, como se salvar e a absoluta necessidade de tomar cuidado. Entre estas duas últimas passagens está a parábola ilustrativa (Pv 7:24-27).

Esta é a nossa lição extraída destas palavras. Pais e professores precisam usar ilustrações claras e descritivas a respeito dos verdadeiros perigos da vida. Teoria, regras, franzir as sobrancelhas e respostas negativas não são suficientes. O Pregador não usou aqui o sétimo mandamento (Êx 20:14). Ao invés disso ele mostrou claramente o perigo e as tristes consequências da quebra daquele mandamento. Você sabe ensinar a sabedoria piedosa para solucionar os problemas da vida? Caso positivo, você faz isso?

Cochichar, fofocar, espalhar falsas notícias e difamar são pecados abomináveis. Mas o santo uso de reais eventos para a piedosa instrução em sabedoria não se enquadra em nenhum desses casos. Se pessoas são usadas, os eventos devem ser verdadeiros, bem conhecidos, e não devem ser usados para causar danos à reputação dos outros. Os nossos abençoados irmãos Paulo e João usaram diversos indivíduos pelo nome, e até mesmo nações inteiras para ilustrar pecados (ITm 1:18-20; IITm 4:14-15; Tt 1:12; IIIJo 1:9-10).

Jesus disse, “Lembrai-vos da mulher de Ló”. Nestas poucas palavras Ele ilustrou com grande poder o perigo de tentar salvar uma vida (Lc 17:28-33). Ele não causou dano algum à mulher de Ló. Jesus falou das orações de um fariseu e de um publicano. Em poucos versículos Ele mostrou o coração contrito de um e a auto justiça do outro (Lc 18:9-14). Aqui também Ele não causou nenhum dano ao fariseu. A oração condenada era verdadeira, bem conhecida e usada para a santa instrução.

Jesus sabia como usar acontecimentos da época. Quando falaram para Ele a respeito dos galileus que foram mortos por Pilatos enquanto ofereciam sacrifícios, Ele deu uma lição de arrependimento. E Ele usou a notícia dos dezoito que morreram quando a torre caiu sobre eles para enfatizar a lição de arrependimento (Lc 13:1-5).

A Bíblia registra muitos pecados de muitos homens, tanto ímpios quanto piedosos. Os pecados efetivamente aconteceram, eram conhecidos em Israel, e foram usados com um santo propósito de ensinar. E foram punidos publicamente para que todo Israel pudesse ouvir e temer (Dt 13:11; 21:21).

Considere a curta epístola de Judas. Ele nos lembra de Israel no deserto (5), dos anjos caídos (6), de Sodoma e Gomorra (7), dos sonhadores alucinados (8), do arcanjo Miguel (9), das bestas feras (10), de Caim (11), de Balaão (11), de Corá (11) e de Enoque (14). Captou a mensagem?

Pais! Você podem usar os familiares, vizinhos e outros como exemplos para transmitir valiosas lições ao treinar os seus filhos? Você pode usar eventos correntes da sua cidade ou da sua nação para ilustrar o pecado e as suas consequências? Se você pode fazer isso, o faz para salvar os seus filhos?

Educação acadêmica é de pouco valor, mesmo em suas escolhidas profissões. O treinamento prático de uma mesa de jantar piedosa é de muito maior valor. É fácil se sustentar, mas é mais difícil viver uma vida piedosa. Pais! Mantenha suas prioridades corretas!

Você não pode deixar para uma escola local, cristã, ou Dominical o treinamento de uma criança. É a sua responsabilidade. Auxiliando seus filhos com as tarefas escolares não é uma maneira de treiná-los (Pv 22:6; Sl 78:1-8; Ef 6:4). Os pagãos, todas as noites, ajudam os seus filhos com as tarefas escolares, para gerar pequenos pagãos.

Ensine verdades espirituais, sabedoria piedosa, santo viver, pensamentos virtuosos, atitudes nobres, e sóbria aplicação de tudo isto. Treinamento de crianças é fácil, se você não seguir os pagãos em suas adorações às instruções acadêmicas. Que o seu jantar seja uma festa de santa sabedoria! Todos os dias devem ser uma experiência em aprendizagem, pois a janela aberta revela muitas fotografias.

O pai que sabe aproveitar dos ataques de pirraça ou um evento político internacional para aplicar a palavra de Deus é um pai sábio e valioso. Seus filhos confiarão e temerão as suas opiniões. Um pai que consegue falar claramente acerca dos aspectos reais da vida – como sexo, dinheiro, amor e sucesso – é um grande pai. Seus filhos confiarão nele e buscarão as suas opiniões.

Nem a inteligência, a educação ou a eloquência é necessária. Todo homem é capaz, pois um fazendeiro que lê a sua Bíblia diariamente e olha a vida passar pelos batentes da janela, terá sabedoria a ensinar as crianças em todos os jantares. Pais! Vocês estão prontos para aproveitar as oportunidades?

Salomão gastou a sua vida, não lendo a respeito do pecado e do objetivo para o homem, mas experimentando de tudo nela. Temos incríveis experiências e sabedoria na ponta dos nossos dedos nas escrituras. Nós não precisamos experimentar como ele o fez; mas podemos aprender a abordagem dele e usar essas valiosas lições ilustrativas para a instrução do mundo real que passa pelas nossas janelas.

Você tem como tomar os eventos correntes a aplica-los à palavra de Deus? Você pode aplicar os provérbios de Salomão às situações na vida? É seu dever como cristão crescer em sabedoria e conhecimento e ser capaz de discernir entre o bom e o mal e ensinar a outros (Hb 5:12-14).

O nosso abençoado Senhor se sentou e ficou olhando as ofertas no templo e extraiu maravilhosas conclusões para santas instruções (Mc 12:41-44). E Ele encheu as escrituras com exemplos para o nosso aprendizado (Rm 15:4; ICo 10:5-6,11-12). Se olharmos através da janela da Bíblia para olhá-Lo, Ele terá uma lição perfeita de vida para nós (Hb 12:1-4; I Pe 2:21).