Provérbios 20:26

O rei sábio dissipa os ímpios e faz girar sobre eles a roda.

Play Audio:

Grandes governantes esmagam criminosos. Um rei poderoso que não tolera oposição civil é algo maravilhoso (Pv 30:31). Tanto Salomão quanto o seu pai Davi foram reis sábios e bem sucedidos. Aqui Salomão dá conselho inspirado e adquirido conhecimento político a reis e outras formas de autoridade. Sábios governantes lutarão e destruirão pessoas más sob a sua autoridade.

A origem e o objetivo do governo civil não são mistérios. O SENHOR ordenou governantes sobre todas as nações e outros principados para punir os malfeitores (Rm 13:1-4; IPe 2:13-14). Resistindo ou ressentindo esta autoridade é resistir e ressentir ao próprio Deus. O governo civil tem todo o direito de instituir a punição capital na exigência do cumprimento de suas leis, e Deus envia estes governantes como Seus ministros para executar vingança sobre aqueles que são maus e praticam a perversidade.

Girar a roda sobre os ímpios significa esmagá-los. Nos dias de Salomão, o grão de trigo era moído girando ou o rolando uma pesada roda sobre ele (Is 28:27-28; Jz 16:21). Isto separava o trigo da casca. Governos sábios tomarão medidas enérgicas para esmagar homens cruéis que se colocaram contra a autoridade e a lei.

Aqui a sabedoria ensina que o governo civil deve ser duro e severo. Não pode haver tolerância ou comprometimento com criminosos. Comprometimento e demora causa um aumento na criminalidade pelo endurecimento dos corações dos criminosos. Podemos ver isto em nossos dias pelos júris que são incapazes de chegar a uma decisão unânime, apelações, táticas de obstruções, apelos a instâncias superiores e adiamento de execuções (Ec 8:11).

Temos várias referências a reis neste capítulo de Provérbios. Salomão estava fornecendo sabedoria para o seu filho Roboão, que seria o rei seguinte de Israel, e para governantes em geral. Ele descreve a virtude positiva de grande temor (Pv 20:2), a santa execução, por eles, do juízo (Pv 20:8), e o equilíbrio da misericórdia e da verdade na proteção dos inocentes (Pv 20:28).

Governos sábios buscam vidas calmas e pacíficas para os seus cidadãos produtivos. Essas pessoas só podem ter vidas assim se os perversos forem espalhados e esmagados. Os líderes devem levar com seriedade a justiça como parte do seu ofício e fazer tudo que puder para destruir os criminosos e a criminalidade. Eles devem estar isentos de sentimentalidade para poder ajudar, auxiliar ou perdoar criminosos.

Não há lugar para uma só pessoa perversa, ou um criminoso, numa nação justa e boa. Os corredores da morte deveriam ser esvaziados dos seus 3700 monstros … por meio de apedrejamento público transmitido através dos canais “Pay per view” da televisão, com as rendas revertidas para as famílias das vítimas. Um centavo a mais gasto para a manutenção deles no sistema penitenciário é um desperdício. Pedras são baratas. Davi, um rei segundo o coração de Deus, tinha uma tolerância zero para com os criminosos (IISm 4:1-12; Sl 101:4-8).

Aqueles que resistem ou se ressentem do governo civil e aqueles que falam mal ou levianamente daquelas autoridades devem ser tratados com mais severidade. O próprio Deus abriu a terra para engolir vivos os homens e as suas famílias por falarem mal contra Moisés (Nm 16:1-34). O Novo Testamento diz que eles deveriam ser destruídos como cachorros raivosos, pois, obviamente, eles não entendem a necessidade básica de autoridade (IIPe 2:10-12; Jd 1:8-10). Não há nada semelhante à liberdade de expressão contra a autoridade na sabedoria de Deus (Êx 22:28).

Que todo o homem em posição de autoridade use de medidas rígidas e severas contra os perversos no âmbito do seu controle. Isto se aplica a empregadores, pais, maridos e pastores assim como aos reis e presidentes, governadores e delegados. Justiça, paz e calma depende de lideranças fortes livrando a nossa sociedade da rebelião dos tolos.

Jesus Cristo é o maior dos Reis, com a maior sabedoria. Ele é Rei dos reis! Quando os judeus O rejeitaram e O crucificaram, Ele prometeu voltar e destruir miseravelmente aqueles homens malignos (Mt 21:41), Enviando os Seus exércitos para queimarem a cidade deles (Mt 22:7), e moê-lo até o pó (Mt 21:44). Ele prometeu não deixar pedra sobre pedra quando destruísse Jerusalém (Lc 19:44). Ele prometeu que viriam mais aflições e perturbações sobre eles do que em qualquer nação que tivesse existido antes ou que viria a existir depois deles (Mt 24:21). E Ele cumpriu tudo isso e mais no ano 70 d.C pelos exércitos romanos sob o comando de Tito Flávio Vespasiano Augusto.

Mas, ao mesmo tempo, para aqueles que temiam o Seu nome e O amaram, o Sol da Justiça chegou com cura em Suas asas (Ml 4:2). E Ele está voltando novamente com bênçãos e recompensas eternas para aqueles que amam a sua aparição (Tt 2:13).